Na Vara do Trabalho de Castro, região Centro-Sul do Paraná, um litígio entre a BRF S.A. e um auxiliar de produção foi solucionado com acordo graças à utilização de uma tecnologia bastante popular atualmente: o aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp.

Diante de proposta de conciliação, formulada durante audiência em que não estavam presentes nem o trabalhador nem o seu advogado, a juíza Karla Grace Mesquita Izídio decidiu recorrer à comunicação via aplicativo para levar ao conhecimento do empregado os termos do acordo oferecido pela empresa.

As tratativas ocorreram tanto via telefone quanto via WhatsApp, sempre mediadas pela juíza da Vara do Trabalho de Castro. O trabalhador, que requeria na ação o pagamento de verbas relacionadas às horas extras, adicional de insalubridade e outros valores, aceitou a proposta feita pela BRF, manifestando sua concordância pelo próprio aplicativo de mensagens.

A composição foi homologada no último dia 19.

Outro caso, mesma ferramenta
Recentemente, um processo trabalhista que aguardava solução há aproximadamente 15 anos foi solucionado no Projeto Horizontes, do TRT-PR, também com o auxílio da ferramenta WhatsApp.

Com uma das partes envolvidas residindo nos Estados Unidos e a impossibilidade de participação presencial de todos em audiência, a conciliação só pôde ser concretizada graças à comunicação via aplicativo de mensagens.

Fonte: Tribunal Regional do Trabalho, 9ª Região, PR, 24 de julho de 2018.

https://www.trt9.jus.br/portal/noticias.xhtml?id=6687232