Por: José Antonio Rosa | 04/10/17

Montadora anunciou novos investimentos para a fábrica de Sorocaba

Os cerca de dois mil trabalhadores, da planta Sorocaba da Toyota aprovaram ontem, durante assembléia, a renovação do acordo coletivo que, entre outras disposições, lhes garanta a não aplicação de novas regras da reforma trabalhista que começa a vigorar em novembro e evita, principalmente, que a empresa terceirize a atividade-fim. 

O acerto garante também estabilidade no emprego para os lesionados e acometidos por doenças ocupacionais até a aposentadoria, dependendo de avaliação médica. Os dois primeiros pontos foram regulamentados em cláusula com validade de dois anos. O resultado do acordo, que seria o primeiro em nível regional, segue na contramão daquilo que parte do setor produtivo tem buscado adotar e abre precedente para outras negociações entre patrões e empregados. 

“Estamos diante de um novo paradigma alcançado com a mobilização da categoria”, destacou o coordenador do Comitê Sindical da fábrica, Carlos Alberto Rodrigues da Silva. Ele acrescentou que a proposta foi criada junto com os trabalhadores. Outro integrante da diretoria-executiva do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal), Izídio de Brito Correa, também participou das negociações. 

Nesse momento, destacou Silva, também conhecido como “Carlão”, “devemos valorizar a mão de obra e ter consciência de que só se alcança o objetivo com a união”. Ele acredita que o que aconteceu na montadora pode se estender a outras empresas do segmento. “Se todos tiverem essa mesma garra e união, com certeza conseguirão melhores condições de trabalho.”

O dirigente comemora a inclusão no acordo da cláusula que blinda os operários do impacto da reforma trabalhista e da terceirização. Para que eventuais mudanças sejam adotadas futuramente será necessária prévia negociação com o sindicato. 

No dia 25 de setembro, a Toyota anunciou investimentos de R$ 1,6 bilhão em suas duas unidades instaladas em Porto Feliz e Sorocaba. Na fábrica de motores, em Porto Feliz, serão aplicados R$ 600 milhões na expansão. E na fábrica de Sorocaba, onde é produzido o modelo Etios, o aporte será de R$ 1 bilhão para a montagem do Yaris. Calcula-se que os investimentos deverão gerar 500 empregos diretos. 

A direção do SMetal mantém estratégias diferenciadas de negociações este ano, a fim de preservar garantias e direitos previstos nas convenções coletivas que protegeriam os trabalhadores dos efeitos da reforma. 

Fonte: Cruzeiro do Sul, 04 de outubro de 2017.

http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/825126