Diante das manobras do governo para diminuir direitos dos trabalhadores e a influência dos sindicatos, a Força Sindical realizou nesta sexta (2), uma reunião com os sindicatos filiados, em sua sede.

O objetivo: orientar ações unificadas que estimulem a autorização do desconto da contribuição sindical.

“Esta reunião é para mostrar o que podemos fazer para fortalecer o movimento sindical, apontar ações unificadas, pois o trabalhador ainda não percebeu que no final das contas, quem vai sair perdendo é ele ”, disse o presidente da Força Sindical São Paulo, Danilo Pereira.

Desde a aprovação da reforma trabalhista, a contribuição sindical que era compulsória se tornou facultativa, ou seja, agora é preciso autorização do trabalhador para descontá-la.

Para o assessor jurídico sindical César Augusto de Mello, a melhor forma de obter a autorização do desconto sindical é por meio de assembleia.

“Devemos lembrar que a lei também define que negociado prevalece sobre o legislado, sendo assim, o trabalhador pode autorizar o desconto por meio de uma assembleia geral, seja ela por empresa ou por segmento” afirmou.

O advogado ressaltou que judicializar a causa deve ser a última opção.

“Os sindicatos precisam valorizar o instrumento que têm de mais soberano, a assembleia. É por meio dela que aprovam os reajustes, a PLR, e aprovarão a contribuição sindical. E só depois disso pensar em judicializar”, finalizou.

Previdência
O secretário-geral da Força João Carlos Gonçalves, Juruna, aproveitou o encontro para falar sobre o plano de lutas adotado pelas centrais para combater a reforma previdenciária. No dia 19 de fevereiro, haverá uma mobilização para impedir que a reforma seja votada. “Nosso objetivo é evitar que o Congresso dê mais um golpe nos trabalhadores e fazer com que a reforma da Previdência faça parte do debate presidencial”.

Fonte: Mundo Sindical, 05 de fevereiro de 2018.

http://www.mundosindical.com.br/Noticias/31152,Sindicatos-definem-acoes-para-o-custeio-sindical