Por: Silmar Ramos

Um grupo de trabalhadores da unidade da BRF de Toledo participou, no Sindicato da Alimentação, de uma reunião de esclarecimentos sobre as negociações de reajuste que até agora não resultaram na renovação do Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2018, que tem como database o mês de novembro (2017).

Além de diretores, também participaram da reunião, os advogados sindicais que estão atuando diretamente nas negociações como forma de aproximar o trabalhador do Sindicato. Segundo Marcelo Pinto Sancandi, os trabalhadores saíram satisfeitos, pois puderam entender o porquê as partes ainda não chegaram a um acordo.

De acordo com o advogado, com a nova lei trabalhista em vigor desde novembro de 2017, o Sindicato precisou se atentar as chamadas cláusulas sociais, que tratam exclusivamente de direitos que constam em acordo coletivo. “A maior preocupação do Sindicato é evitar que direitos sejam retirados dos trabalhadores e é isso que está provocando essa morosidade para que as partes comecem a discutir as cláusulas econômicas”, explica o advogado.

O presidente João Moacir Lopes Belino defende que embora as cláusulas sociais estejam no centro das discussões, tratadas nas duas primeiras reuniões de negociações com a empresa, o Sindicato mantém a preocupação em conquistar um reajuste que atenda as reivindicações da pauta, pois existem muitas justificativas para que isso aconteça quando se analisa o contexto econômico do país e as dificuldades que o trabalhador enfrenta.

Mesmo que a inflação apontada para o período esteja abaixo de 2%, índice contestado pela classe sindical em razão dos inúmeros aumentos em itens essenciais como combustíveis, energia elétrica, gás de cozinha e nos produtos da cesta básica, João Moacir acredita que a empresa precisa reconhecer o esforço da classe trabalhadora.

“Estamos na luta para que o trabalhador seja recompensado e esperamos que haja uma iniciativa da empresa em reconhecer isso. Pedimos também um pouco de paciência, mas essa demora é para que o trabalhador não saia perdendo ao final das negociações”, explica Moacir.

Reuniões como desta quinta-feira (01/02/18) devem ser frequentes até que haja acordo com a BRF. A meta do Sindicato é ouvir e esclarecer os trabalhadores de todos os setores da empresa.

Fonte: Jornal do Oeste, 04 de fevereiro de 2018.

https://www.jornaldooeste.com.br/noticia/sindicato-se-reune-com-trabalhadores-para-falar-sobre-negociacoes-com-a-brf