Aqui não A taxa prevista pelo projeto seria cobrada de todos os trabalhadores, sindicalizados ou não, com aprovação de assembleias de cada categoria. A falta de simpatia do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é um entrave para o avanço da iniciativa na Casa.

Volta às ruas Os sindicalistas estão organizando manifestações contra a reforma trabalhista no dia 10 de novembro, véspera da entrada em vigor das novas regras. Sindicatos de metalúrgicos, que estão em campanha salarial, devem liderar os protestos.

Fonte: Folha de São Paulo, 14 de outubro de 2017.

http://painel.blogfolha.uol.com.br/2017/10/14/sem-alternativa-para-fim-do-imposto-sindical-centrais-decidem-apostar-em-projeto-na-camara/