Proposta da classe patronal foi rejeitada ontem durante a segunda rodada de negociações em Arapongas

A produção avícola ultrapassou 1,3 bilhão de cabeças abatidas em 2010

Cerca de 65 mil trabalhadores do setor avícola podem entrar em greve a partir do início da semana que vem no Paraná. Os trabalhadores rejeitaram a proposta da classe patronal apresentada ontem na segunda rodada de negociações, realizada em Arapongas com a Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Paraná (FTIA). 

A categoria quer um reajuste no piso de R$ 690 para R$ 772,60, além de uma cesta básica no valor de R$ 110. De acordo com Ernane Garcia Ferreira, presidente do FTIA, a proposta feita pelos patrões ficou em R$ 750. ”Os sindicatos estão tentando há meses fazer uma negociação salarial. Já abaixamos nossa reivindicação salarial da semana passada, que estava em R$ 781. Agora chegamos no mínimo, não diminuiremos mais”, salienta o representante de classe.

Ferreira comenta ainda que a data-base da categoria é no mês de novembro, mas que os empresários demoraram para iniciar as negociações justamente para que as propostas dos trabalhadores fossem reduzidas ao passar dos dias. ”O momento é muito bom para os empresários, com a produção acontecendo de segunda a segunda. Caso não aconteça um acordo na sexta-feira, as assembleias devem ser marcadas e a greve deflagrada na segunda ou terça da semana que vem”, afirma.

Domingos Martins, presidente do Sindicato das Indústrias Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar), não acredita que haja a menor possibilidade da grave acontecer. Ele ressalta que o sindicato patronal está dando um aumento real de 4% para os trabalhadores. ”Nenhum categoria consegue ajuste nestes patamares. Nos últimos 10 anos, já oferecemos um aumento real de 30%”. Ele relata que a próxima reunião – agendada também em Arapongas na sexta – patrões e empregados devem chegar a um acordo. ”Vamos chegar a um consenso. Tenho que ouvir os outros empresários para talvez fazermos uma nova proposta. A diferença entre nossa oferta e o que eles estão reivindicando é pequena”, complementa.

De acordo com o Sindiavipar, no Paraná a produção de frango ultrapassou 1,3 bilhão de cabeças abatidas em 2010, o que representa 28,4% da produção nacional.

Fonte da notícia: Victor Lopes, Folha de Londrina, 30.11.11