Na semana passada, o TRT decidiu pela realização de uma nova assembleia para que a proposta da empresa seja votada novamente. O sindicato contestou a decisão e denunciou práticas antissindicais cometidas pela empresa em que os trabalhadores que conversam com dirigentes sindicais são chamados para prestar explicações, ameaças de corte nos planos de saúde e odontológico e até do café, pressão para assinarem listas para convocação de assembleia e até a criação, com aval da empresa, de uma comissão de trabalhadores para tentar excluir o Sindicato das negociações e muitas outras práticas que são inaceitáveis.

O Sindicato da Alimentação entrou com uma nova ação por dano moral coletivo na Justiça do Trabalho contra a BRF para impedir “as ameaças e abusos cometidos pela empresa”. Em razão das diversas denúncias, o Tribunal Regional do Trabalho garantiu a todos os trabalhadores a manutenção dos planos de saúde e odontológico por mais dois meses após a assembleia, tempo em que o sindicato deve propor uma nova ação contra a empresa que tenta retirar direitos adquiridos dos trabalhadores que existem desde a fase de contratação e que vêm do tempo da Sadia, ou seja, muito antes de existir a BRF e, portanto, não podem ser suprimidos dessa forma.

Nova assembleia
O Sindicato também informa aos trabalhadores da unidade que a decisão da Assembleia foi soberana quando aprovou a ação de cumprimento e, portanto, vai questionar a decisão do Tribunal do Trabalho sobre a realização de uma nova assembleia. “Nossa luta é para derrubar essa decisão, mas, se for mantida, é importante os trabalhadores saberem que a empresa foi comunicada que qualquer tipo de ameaça ou atitude no sentido de pressionar os trabalhadores será punido e, inclusive, a empresa não pode sequer fazer reuniões ou se dirigir aos trabalhadores nesse sentido. Se isso acontecer, é preciso denunciar ao Sindicato de forma sigilosa ou até mesmo ao Ministério Público do Trabalho para que sejam tomadas as devidas providencias”, explicou a presidente.
 
BRF emite nota sobre decisão do TRT
 A assessoria de imprensa da empresa BRF em São Paulo foi contatada pelo JdeB na tarde de terça-feira sobre a decisão do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná, as críticas da direção do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Beltrão e a decisão de acionar a companhia na Justiça do Trabalho com ação por danos morais coletivos.

Eis a nota enviada ao JdeB pela assessoria:
“A BRF informa que irá aguardar o resultado da Assembleia de Trabalhadores, a ser marcada pelo sindicato até o dia 18 de novembro, conforme determinação judicial, e cumprirá com a decisão expressada pela maioria de seus colaboradores, dentro das práticas democráticas que a companhia sempre defendeu e respeitou. Atualmente, a empresa se relaciona com mais de 80 sindicatos em todo o País e mantêm um diálogo aberto e constante com todos”.

Fonte: Jornal de Beltrão, 03 de novembro de 2016.

http://www.jornaldebeltrao.com.br/noticia/251194/segundo-sindicato-trt-mantem-decisao-que-obriga-brf-reajustar-salarios-em-10-83