O resultado do ano representa um ganho de 3,8% na comparação com 2009 e de 19% sobre 2003, conforme informou o levantamento. Em dezembro do ano passado, o salário médio ficou em R$ 1.515,10, registrando um recuo de 0,7% em relação a novembro e aumentou 5,9% sobre o mesmo período de 2009.

Em 2010, Porto Alegre registrou a menor taxa de desemprego entre as seis regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE. No ano, o índice ficou em 3%, a menor taxa da série histórica da Pesquisa Mensal de Emprego, que teve início em 2002. No país, considerando as sete regiões, a desocupação encerrou 2010 em 5,3%.

Em seguida, aparece a região de Belo Horizonte, que registrou taxa de 4,3% em dezembro de 2010, também a mais baixa em oito anos, segundo levantamento do instituto. Ainda abaixo da média nacional está o Rio de Janeiro, cujo índice do ano anterior ficou em 4,9%, o mesmo registrado em novembro.

O desemprego em São Paulo registrou a mesma taxa que a brasileira, 5,3%. Acima da média ficaram Recife, cujo índice fechou em 6,9% e Salvador, com taxa de 8,4%. Embora mais altas, as taxas ainda são as mais baixas desde o início da série histórica.

No país

Com o resultado do último mês de 2010, a média da taxa de desemprego no ano ficou em 6,7%. De acordo com o IBGE, é a menor taxa média de 12 meses da série histórica e menor que a observada em 2009 (8,1%). Em 2003, a taxa média de desocupação era de 12,4%.

Em dezembro houve, segundo o IBGE, redução de 8% sobre novembro no contingente de desocupados (1,3 milhão) nessas regiões. Na comparação com um ano antes, a queda foi mais drástica, de 21,4%.No ano de 2010, os desocupados somaram, em média, 1,6 milhão de pessoas, 15% a menos que em 2009 e 39% a menos que em 2003, de acordo com o Instituto.

A população ocupada em dezembro somou 22,5 milhões de pessoas, mesmo número de novembro, e cresceu 2,9% no confronto com dezembro de 2009. Os dados da pesquisa apontam um total de 10,5 milhões de trabalhadores com carteira assinada no setor privado em dezembro, número estável em relação a novembro e 8,1% superior frente a dezembro de 2009.

Fonte da notícia: G1 Globo.com, 30.01.2011