Não é difícil encontrar pessoas que pensam que não conseguirão mais emprego após os 40 anos de idade. Porém, no Paraná, os dados estatísticos contrariam esse senso comum. A quantidade de trabalhadores com idade acima de 55 anos aumentou 25,22% no primeiro semestre deste ano no Paraná, em relação ao mesmo período de 2009.

De janeiro a junho deste ano, de um universo de 93 mil contratados pelas Agências do Trabalhador do Paraná, 1.807 estavam nessa faixa etária, o que representa 1,94%. Já no ano passado, do total de contratados no estado, 1.443 tinham idade acima de 55 anos, 1,8% do total.

Os números só não aumentam mais por causa do preconceito. “Quanto mais idade, mais dificuldade em se inserir no mercado. E isso é um problema cultural no Brasil. É preciso mudar essa realidade. Por que as pessoas com mais de 50 anos não podem trabalhar?”, indaga o secretário de Estado do Trabalho e Emprego, Tércio Albuquerque.

Algumas pessoas estão contribuindo com esse aumento de empregados na faixa etária, e também com a quebra de alguns valores pré-concebidos. Carmen Antonello, de 76 anos, é um exemplo disso. Ela trabalha há 11 anos no hipermercado Extra do Alto da XV, em Curitiba. Somente nesta unidade são oito profissionais com mais de 55 anos. Para Carmen, trabalhar nessa idade é uma questão de autoestima. “A gente se sente competente e não fica só em casa chorando a morte do marido. O mais interessante é que todos me tratam com igualdade, não ligam para a minha idade”, brincou ela, que vive com a aposentadoria do marido já falecido e atua no Serviço de Atendimento ao Cliente do estabelecimento.

O Grupo Pão de Açúcar (do qual o Extra faz parte) desenvolve um programa de inclusão social que visa a contratação de pessoas com mais de 50 anos de idade. Em todas as unidades do Grupo no Brasil 1.300 pessoas já foram contratadas nessas condições, dentro de um total de 71 mil funcionários. Outro exemplo na unidade de Curitiba é Sebastiana Pontes, de 52 anos. Ela já trabalhou como costureira, mas hoje atua no setor têxtil do Extra. Para ela, trabalhar é um misto de necessidade (já que ela não tem aposentadoria) e bem-estar. “Para quem quer trabalhar tem serviço sim, é só procurar. Vou trabalhar até morrer”, disse ela.

Ana Paula Slomp, responsável pelo setor de Recursos Humanos do Grupo Pão de Açúcar, avalia que contratar pessoas com mais idade só traz vantagens para as empresas. “Elas são mais dedicadas, comprometidas, pois querem mostrar que conseguem fazer aquilo. Sem falar na simpatia que elas criam com os clientes”, observou. O Grupo fez uma pesquisa sobre o assunto e chegou à conclusão que as pessoas nessa idade são bem vistas pelos clientes.

Fonte: Mara Andrich , Jornal O Estado do Paraná, 03.08.2010