Baixa utilização da capacidade instalada no Estado, maior produtor do país, reflete escassez de animais e mercado interno fraco, afirma Imea

Maior produtor de carne bovina do país, o Mato Grosso registrou queda de 1,2% no volume mensal de abate em março, segundo boletim divulgado nesta segunda-feira (19/4) pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

De acordo com o levantamento, 346,36 mil animais foram abatidos no Estado no último mês, levando a um índice de ociosidade da indústria superior a 60% devido à oferta restrita de animais prontos para abate.

“Esse resultado demonstra que, se este cenário de retenção mais intensa das fêmeas se perdurarem, a tendência no médio prazo é de que a oferta de animais de reposição seja elevada. Já no curto prazo, essa oferta escassa de animais aptos para o abate vem influenciando e ditando o mercado físico do boi gordo”, observa o instituto no boletim, onde aponta aumento da ociosidade também na indústria de aves e suínos.

No caso dos frigoríficos de suínos, a utilização da capacidade instalada caiu de 81,81% em fevereiro para 74,01% em março, enquanto em aves essa queda foi de 61,81% para 59,63%.

O Imea explica que o menor desempenho produtivo esteve relacionado aos elevados estoques da indústria nesses segmentos. Com isso, a arroba bovina registrou alta de 0,86% no Estado, cotada a R$ 305,55, enquanto o quilo do suíno vivo foi cotado a R$ 5,12/kg, acréscimo de 10,35% na mesma comparação.

Fonte: Globo Rural, 19 de abril de 2021.

https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Criacao/Boi/noticia/2021/04/ociosidade-de-frigorificos-de-carne-bovina-passa-de-60-em-mato-grosso.html