O comportamento pré-histórico dos patrões do Seara Alimentos, de Osasco, empresa do grupo JBS/Friboi, se percebe a olhos vistos entre os seus funcionários.
O número de acidentes e doenças dentro da fábrica é enorme, mas os encarregados, bem como a administração lá existente, agem pior que os homens das cavernas, canibais seriam pouco para retratá-los.
Conforme relatos dos trabalhadores, a empresa os trata com total desprezo quando adoecem e sofrem acidentes.
Os trabalhadores quando fica doentes, o que é uma rotina em frigoríficos, não podem ser socorridos, na enfermaria do Seara Alimentos, inclusive há uma ordem expressa para que a enfermeira não dê medicamentos para atenuar a dor e o sofrimento dos funcionários, existe até um aviso pregado na parede.
Apesar de haver mais de 600 trabalhadores na fábrica de Osasco, não existe nenhuma ambulância para que sejam socorridos os trabalhadores, o que é feito pelos próprios colegas de trabalho.
Os operários novos são jogados na linha de produção sem nenhuma orientação, treinamento mínimo para o exercício da função, e a quantidade de acidentes, que já ocorrem com frequência entre os mais experientes, devido à falta de manutenção dos equipamentos e proteção do maquinário, entre esses jovens a ocorrência desses acidentes aumenta várias vezes.
A fábrica tem um histórico de forçar os operários a irem trabalhar mesmo doentes, adulteram atestados e são torturados para aceitarem essas imposições.
Os trabalhadores, como já fazem compensação do sábado durante a semana, não trabalham nesse dia, no entanto, um dos gerentes, Ricardo, bem como o supervisor, ameaça os funcionários e quem não vai, acaba ficando na lista negra e é perseguido.
Para dar conta da produção e manter os lucros do frigorífico, os patrões não se importam de tirar até a última gota de sangue de seus funcionários, uma vez que, para eles, há sempre um exército de trabalhadores reservas e, se há uma destruição física e psicológica dos trabalhadores, troca-se por outros.
O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carne, Derivados e do Frio no Estado de São Paulo está realizando reuniões com os operários de Osasco e chamará reunião com o Frigorífico – Seara para resolver as questões denunciadas pelos operários e impor um limite a essas atrocidades.

Fonte: Causa Operária, 05 de abril de 2019.

https://www.causaoperaria.org.br/no-frigorifico-seara-alimentos-de-osasco-trabalhador-acidentado-ou-doente-e-tratado-como-lixo/