JBS pretende desenvolver novas técnicas que acelerem os ganhos de escala e reduzam os custos de produção da proteína cultivada

A JBS, maior companhia global de proteínas e líder em produção de alimentos, anunciou nesta quarta-feira (17) que fechou um acordo para aquisição de controle da empresa espanhola BioTech Foods e que vai ingressar no mercado de proteína cultivada – carne feita a partir de células animais e não da pecuária.

No total, a JBS destinará US $ 100 milhões em duas iniciativas, que “estão em linha com a estratégia da Companhia de ampliar a sua plataforma de novas formas de produção de proteína, como reflexo das novas tendências de consumo e do crescimento populacional esperado nas próximas décadas”.

A operação inclui o investimento de US $ 41 milhões na construção de uma nova unidade de produção na Espanha para dar escala à produção e a implantação do primeiro Centro de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) em Biotecnologia de Alimentos e de Proteína no Brasil.
Em um comunicado, a JBS informou que a consumação do negócio está confirmada à confirmação da autoridade de investimento estrangeiro na Espanha, dentre outras condições usuais a este tipo de operação.

Mercado
Segundo a empresa, quando estiver em fase comercial, a proteína cultivada chegará inicialmente aos consumidores na forma de alimentos preparados, como hambúrgueres, embutidos, almôndegas, entre outros, com a mesma qualidade, segurança, sabor e textura provenientes da proteína tradicional. A tecnologia tem potencial não apenas para a produção de proteína bovina, mas também para a de frangos, suínos e pescados.

“Esta aquisição reforça nossa estratégia de inovação, desde como desenvolvemos novos produtos até como comercializamos, para atender à crescente demanda global por alimentos. Unindo o conhecimento tecnológico com nossa capacidade de produção, seremos capazes de acelerar o desenvolvimento do mercado de proteína cultivada”, afirma Gilberto Tomazoni, CEO Global da JBS.

A BioTech Foods trabalha com o desenvolvimento de biotecnologia para a produção de proteína cultivada, contando com o apoio do governo espanhol e da União Europeia. A empresa opera uma planta-piloto na cidade espanhola de San Sebastián, e deve produzir para o mercado de fato apenas em 2024, de acordo com a JBS.

O aporte faz com que o frigorífico se torne o acionista majoritário da BioTech Foods.

Fonte: Canal Rural, 18 de novembro de 2021.

https://www.canalrural.com.br/noticias/jbs-carne-de-laboratorio/