O Frigorífico Forte Boi fica no Fundão, às margens da BR 101 e já registrou três funcionários com coronavírus.

Por: Murilo Cuzzuol

Esse cenário tem população e muitos boatos em relação a pessoas infectadas se espalhar pela cidade. Um deles está direcionado para possíveis mortes de colaboradores de um frigorífico, que fica às margens da BR 101, e é uma empresa importante para a economia local. De acordo com a Prefeitura de Fundão, existem funcionários locais isolados em espera de resultado de testes, porém não há registro de óbitos de colaboradores do estabelecimento.

Em nota, uma administração municipal informou que os 25 casos suspeitos de analisar a cidade no momento, alguns são funcionários de frigorífico. A Prefeitura, porém, não repassou uma quantidade para proteger a identidade dos pacientes e evitar que mais informações sejam controladas se espalhar pela cidade. A assessoria de comunicação confirmou que todos estão cumprindo com isolamento enquanto o resultado não é divulgado.

Em contato com uma reportagem, um dos responsáveis, pela administração do Frigorífico Forte Boi, Adriane Tadeu Dias, também confirmou que há funcionários afastados com suspeita de doença.

“Entendemos a importância que o frigorífico tem para a cidade, por isso muita coisa é falada, mas o que há atualmente são alguns funcionários que esperam pelo resultado dos testes executados. Independentemente de testarem positivo ou não, essas pessoas já estão cumprindo com a quarentena e seguir como assim ter segurança para retornar ao trabalho “, disse Adriane.

O representante do frigorífico acredita que esses boatos se espalham porque não há funcionários locais com Covid-19, porém todos já estão curados.

“Nós já tivemos três registros de trabalho com coronavírus, mas já há algumas semanas. Todos foram armazenados, recuperados e já estão liberados para trabalhar, mas por orientação do médico que ajuda, optamos por recuperar mais alguns dias apenas para uma maior segurança. Todos os dias os funcionários têm temperatura controlada e apresentam qualquer sintoma, estão afastados para evitar um eventual estágio”, explicou.

Por conta das mudanças forçadas pela pandemia, o frigorífico altera a rotina de funcionamento para diminuir o tempo de convívio coletivo dos funcionários no ambiente de trabalho e também intensificado como medidas preventivas. No local, atualmente exerce pouco mais de 300 pessoas.

“Antes desse coronavírus, os abates de animais eram comuns. Agora, essa prática e ocorre apenas algumas vezes por semana. São cerca de 350 animais por dia, mas agora estamos trabalhando menos. um túnel que lança uma substância indicada para combater o vírus ao entrar e sair. Além disso, colocamos mais banheiros para as mãos internamente e disponibilizamos álcool em gel em vários setores para todos os envolvidos”, destacou Adriane.
A Prefeitura de Fundão, através da Vigilância Sanitária Municipal, também se intensificou nas visitas aos frigoríficos nos últimos dias. Na mais recente delas, foram verificadas como medidas de prevenção no local para evitar uma contaminação coletiva.

“A Prefeitura, através da legislação sanitária, faz inspeções frequentes na empresa que não é orientada e fiscaliza como, boas práticas de higiene, distanciamento, entre funcionários, uso de EPIs, barreira sanitária, entre outras medidas que visam garantir como ações do Plano de Contingência da empresa para Covid-19. Várias reuniões entre Vigilância Epidemiológica, Medicina do Trabalho e até mesmo com o diretor da empresa, sendo executadas periodicamente a um fim de alinhamento como ações de combate e controle da proliferação de vírus. com técnicos da Secretaria Estadual de Saúde para orientar e qualificar como ações desenvolvidas na empresa “.

“A legislação sanitária está realizando uma blitz na empresa e avalia se o plano de contingência criado está sendo cumprido, bem como acompanhamento e monitoramento, através da Vigilância epidemiológica dos funcionários afastados”, disse a administração em nota à reportagem.

Fonte: A Gazeta, 06 de maio de 2020.

https://www.agazeta.com.br/es/cotidiano/frigorifico-no-es-tem-funcionarios-afastados-com-suspeita-de-coronavirus-0520