Frigorífico localizado na zona rural foi inspecionado por MPT, MT e PF

15/09/16

O frigorífico LK (Matadouro Kerpel), localizado na zona rural de Coronel Bicaco (429 km de Porto Alegre) teve setores e serviços interditados em 2/9, como resultado de inspeção conjunta realizada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) em Santo Ângelo, Ministério do Trabalho (MT) e Polícia Federal (PF). A denúncia foi encaminhada pelo MPT, que apura irregularidades de meio ambiente de trabalho em inquérito civil, sob condução da procuradora do Trabalho Priscila Dibi Schvarcz. Até esta quinta-feira (15/9), o frigorífico não apresentou documentos nem solicitou a visita necessária para as desinterdições.

Em razão de grave e iminente risco à saúde e integridade física dos trabalhadores, o MT interditou os seguintes setores e máquinas do frigorífico: caldeira, seis vasos de pressão do sistema de refrigeração, passarela do curral, área de atordoamento e sua escada de acesso, área de maneio/içamento, plataformas de trabalho elevadas, serra de carcaça, duas serras-fitas e cinco câmaras frias do setor de expedição.

Além disso, houve a concessão de prazos, entre 15 e 60 dias, para regularização de outros aspectos. Eles atingem as atividades de troca-patas, carregamento de carcaças e descarregamento, o curral, tanques de decantação, painéis de controle do sistema de refrigeração, roletes de retirada do couro, serra de peito, bancadas, rede elétrica, sistema de trilhagem aérea, os setores de bucharia e retirada de cabeça e a área de descaso e gozo de pausas. Também foi investigada na ocasião denúncia de matadouro clandestino nas proximidades.

O MPT e o MT acompanharão as regularizações. Participaram da ação a procuradora Priscila Schvarcz, o servidor do MPT Felipe Dallago Lima e os auditores-fiscais do Trabalho Fabiano Rizzo Carvalho, Fábio Reis Guzen, Henrique Mandagará de Souza e Thales Bilaqua Rossato.

Fonte: Ministério Público do Trabalho, 15 de setembro de 2016.

http://www.prt4.mpt.mp.br/procuradorias/ptm-santo-angelo/5434-frigorifico-lk-coronel-bicaco-tem-setores-interditados