No último mês, diversas fabricantes como Tyson Foods, Hormel Foods, Smithfield Foods, JBS USA Holdings e Cargill fechou plantas como medida de controle da pandemia do novo coronavírus.

O fechamento de fábricas de processamento de carnes nos Estados Unidos pode resultar na escassez do produto para abastecimento doméstico, diz analista de pesquisa da consultoria de investimentos ESG, Christian Brunnstrom. “Isso está criando um gargalo na cadeia de suprimentos com consequências sociais negativas, pois se corre o risco de desperdício de alimentos, enquanto a oferta fica limitada nos supermercados”, avalia Brunnstrom.

No último mês, diversas fabricantes como Tyson Foods, Hormel Foods, Smithfield Foods, JBS USA Holdings e Cargill fechou plantas como medida de controle da pandemia do novo coronavírus. A operação reduzida das empresas acarretou em redução de 20% na produção diária de carne suína.

Com base em dados do Conselho Nacional de Carne Suína, o analista ressalta que, como resultado dessa paralisação, 105 mil suínos não está sendo abatidos por dia. “À medida que os produtores enfrentam superlotação, os reguladores da indústria e da agricultura alertam que os animais não vendidos podem acabar sendo sacrificados ou descartados”, acrescenta Brunnstrom.

Fonte: Avicultura Industrial, 29 de abril de 2020.

https://www.aviculturaindustrial.com.br/imprensa/fechamento-de-fabricas-de-processamento-de-carne-gera-risco-de-escassez-nos-eua/20200429-083154-C919