15/07/16

O balanço do primeiro semestre de 2016 da avicultura paranaense mostra que o setor tem vencido os obstáculos de custos de produção, como a alta no preço do milho e da soja, e as instabilidades econômicas vividas no País. Os embarques cresceram aproximadamente 17%, em volume, se comparado ao mesmo período do ano passado, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). 

Foram 810,45 mil toneladas exportadas pelo Estado só nos seis meses do ano, ante 692,76 mil toneladas no primeiro semestre de 2015, atingindo um faturamento de US$ 1,15 bilhão, de acordo com o órgão. Com isso, o Paraná se mantém líder nos embarques de carne de frango no Brasil, respondendo por 35,66% do total e atendendo a mais de 150 países.

Por sua vez, o ritmo de produção paranaense tem acompanhado a demanda aquecida no mercado externo. Segundo levantamento do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná, (Sindiavipar) foram abatidas 893,84 milhões de aves no primeiro semestre deste ano, alta de 11,62% quando comparado aos 800,76 milhões registrados no mesmo período do ano anterior. Ainda de acordo com o Sindicato, para o fechamento do ano a expectativa é de aumento de 5% a 8% na produção e exportação da proteína. 

“Estamos diante de mais um ano desafiador para a indústria avícola paranaense, mas com competência e planejamento adequados conseguimos encerrar o semestre com números expressivos. Temos uma estrutura moderna instalada no Estado com empresários arrojados, cooperativas e grandes empresas, o que nos permite alcançarmos nossas expectativas de crescimento contínuo”, afirma o presidente do Sindiavipar, Domingos Martins.

Fonte: Folha de Londrina, 15 de julho de 2016.

http://www.folhadelondrina.com.br/?id_folha=2-1–1395-20160715