— É preciso ter controle das horas extras, somar todos os salários pagos e dividir pelo número de meses trabalhados. O cálculo não é diferente do que era feito. Só que agora tem de ser informado no eSocial. Se o sistema calculasse automaticamente, seria melhor. Acredito que no ano que vem, com as melhorias que serão realizadas no programa, essa funcionalidade estará disponível.
A guia do Simples Doméstico pode ser tirada no sistema do eSocial a partir do dia 1º de cada mês e o prazo para o recolhimento (referente aos salários pagos no mês anterior) é dia 7. Quando a data cai no fim de semana ou em um feriado, o recolhimento precisa ser antecipado para evitar a cobrança de multa de 0,33% a 20% sobre o valor devido. O documento contém código de barras e pode ser pago em qualquer banco.
Além da alíquota de 8% para o FGTS, os patrões terão que recolher na guia única uma reserva de 3,2% do salário para cobertura da multa de 40% sobre o saldo do FGTS, que é cobrada em caso de demissão sem justa causa. A alíquota de contribuição patronal para a Previdência caiu de 12% para 8%. E há mais 0,8% para seguro por acidente de trabalho, totalizando 20% do salário.
O documento também recolhe a parte dos tributos a ser paga pelo trabalhador. No caso do INSS, a alíquota varia de 8% a 11%, dependendo do salário. E quem recebe mais de R$ 1.930 também tem o desconto do Imposto de Renda.
Até às 17h da última sexta-feira, 1,341 milhão de patrões haviam se cadastrado no portal eSocial, com 1,5 milhão de vínculos empregatícios. Esse número superou a expectativa da Receita Federal, que era de um total de 1,2 milhão de domésticos.

DESLIGAMENTOS
No caso de demissões ocorridas em outubro, novembro ou dezembro deste ano, o empregador deverá gerar a guia para recolhimento do FGTS na Guia de Recolhimento Rescisório do FGTS (GRRF). No documento emitido no eSocial serão pagos apenas os tributos incidentes sobre a rescisão. No momento da geração da guia única, o empregador deve selecionar a opção “emitir guia detalhada”, desmarcar o campo “total” e selecionar os campos a serem pagos deixando desmarcado o campo FGTS (pago na GRRF conforme item 4.3.1 “Alteração Manual dos Valores da Guia Única – DAE” do Manual do eSocial para o Empregador Doméstico).

Fonte: O Globo, 01 de dezembro de 2015.
http://oglobo.globo.com/economia/domesticos-guia-de-fgts-inss-de-novembro-ja-pode-ser-emitida-18187379