Gallo respondeu que nunca havia sido xingado durante seus 25 anos de carreira e, por verificar “nítido excesso” no comportamento do advogado, pediu que o profissional fosse preso. O presidente do colegiado, desembargador Raulino Brunning, preferiu adiar a análise do processo e oficiar o MP e a seccional da Ordem dos Advogados do Brasil.

Córdova foi retirado da sala por colegas. Segundo o jornalista Rafael Martini, do Diário Catarinense, o caso envolve uma disputa de R$ 35 milhões em execução de honorários, e a OAB-SC já instaurou comissão para apurar os fatos.

Já o presidente em exercício do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, desembargador Alexandre d’Ivanenko, declarou que só vai se manifestar depois de analisar o episódio. A ConJur não conseguiu localizar o advogado e o desembargador na noite desta quinta.

Fonte: Revista Consultor Jurídico, 03 de agosto de 2017.

http://www.conjur.com.br/2017-ago-03/chamado-corrupto-sessao-desembargador-manda-prender-advogado