Transtornos de ansiedade acometem muitos brasileiros, anualmente, e o trabalho pode estar sendo um grande causador dessa realidade.

Por: Lucas Machado

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 18,6 milhões de brasileiros possui algum transtorno de ansiedade, o que significa que 9,3% da população encontra-se nessa condição. Cabe salientar que, atualmente, o Brasil lidera o ranking de acometidos pela doença.

Diante desses números, é possível imaginar os impactos, de modo geral, na vida das pessoas, de modo que as consequências podem ser sentidas em diferentes setores da sociedade. Isto engloba, desde o ambiente de trabalho até as relações sociais.

Segundo especialistas, não há uma causa certa para os transtornos de ansiedade, dado que isto varia para cada pessoa. Em suma, os motivos que ocasionam a doença são dos mais diversos. “A família, os lugares que você frequenta, os amigos, as experiências de vida… Tudo isso contribui para o surgimento ou para a prevenção da doença”, explica a Psicóloga Marina Vasconcellos, conforme o divulgado pelo portal Veja Saúde.

Neste artigo, em especial, iremos destacar as condições de trabalho como um relevante motivador para o acometimento a transtornos de ansiedade. Até porque, atualmente, doenças mentais e comportamentais, é a terceira maior causa de afastamentos laborais que levam ao recebimento de benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

O que são os transtornos de ansiedade?
Em resumo, os transtornos de ansiedade são um conjunto de doenças psiquiátricas caracterizadas por um medo e preocupação excessiva de que algo “ruim” irá acontecer. Em geral, pessoas com quadros ansiosos, convivem com uma grande tensão, que muitas vezes sequer tem um motivo aparente.

Conforme o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, os transtornos são marcados por uma sensação mais intensa de medo e ansiedade. Neste cenário, o “medo é a resposta emocional à ameaça iminente real ou percebida, enquanto ansiedade é a antecipação de ameaça futura”.

Considerando que o termo “ansiedade” já é algo muito falado no senso comum, é pertinente explicitar que se sentir ansioso, não necessariamente significa que a pessoa possui algum transtorno. Isto porque, há situações em que é normal se sentir dessa forma, como na realização de uma prova importante, em uma entrevista de emprego, ao se mudar para outra cidade, ou quando simplesmente vai conhecer novo. A sensação é comum e passa.

De acordo com a especialista Marina Vasconcellos, o que irá diferenciar a sensação comum da patologia em si, são dois fatores: a duração e a intensidade dos sintomas. Para facilitar o entendimento, listamos alguns sintomas comuns a pessoas com transtornos de ansiedade, confira:
• Dificuldade extrema para “relaxar”;
• Preocupação excessiva;
• Fica tenso sem uma razão aparente;
• Cansaço;
• Insônia;
• Irritabilidade;
• Problemas relacionados a memória;
• Fobias, em especial, atreladas ao social.

Pessoas que estão com crises pertinentes a esse quadro, podem integrar ao grupo diagnosticado com o transtorno. Contudo, muita atenção, o acometimento da condição somente pode ser observado é determinado por um profissional da saúde especializado (psiquiatras e psicólogos, em geral).

Caso você se identifique com a condição, o essencial é cuidar da sua saúde, a terapia nessas situações é indispensável, inclusive, essa é uma recomendação para vida. O cuidado à saúde mental é fundamental, independente da existência ou não de uma patologia.

Assim como é habitual se preocupar com o corpo, realizando os famosos “check ups”, é importante periodicamente verificar as condições de nossas emoções, sentimentos, percepções, entre outros aspectos atrelados à mente.

Transtornos de ansiedade e o trabalho
Quando os quadros ansiosos têm origem no trabalho, em geral, o ambiente laboral é marcado por fatores como: pressões excessivas, sobrecarga dos funcionários, abusos psicológicos, metas impossíveis de serem alcançado, acúmulo de funções, ou seja, tudo que torna o ambiente de trabalho desfavorável.

Ainda neste sentido, também vale destacar que o baixo incentivo na remuneração paga, jornadas de trabalho excessivas e conflitos interpessoais contribuem com o agravamento do cenário de adoecimento. Como já dito, não somente prejudicam o desempenho para as atividades laborais do cidadão, mas também suas relações sociais e outros aspectos da vida.

Em razão de tais conjunturas, cada vez mais pessoas vem adoecendo por sobrecargas no trabalho, de modo que muitas vezes cidadãos têm ficado incapazes de exercer suas funções de trabalho.

Caso você se enquadre neste cenário, procure o tratamento recomendado, e benefícios de proteção ao trabalhador. Um bom exemplo são os benefícios por incapacidade (auxílio-doença e aposentadoria por invalidez) concedidos pelo INSS.

Fonte: Jornal Contábil, 16 de maio de 2022.

https://www.jornalcontabil.com.br/ansiedade-impactos-da-condicao-na-vida-do-trabalhador/