A produção deve crescer 1%, enquanto as exportações devem ter um incremento de 6% em relação a 2021

Em coletiva realizada nesta quinta-feira (28/07), a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) apresentou as projeções atualizadas para o mercado de proteína animal. No caso da carne de frango a produção deve crescer até 1% em 2022 chegando a 14,5 milhões de toneladas. Para o ano de 2023 espera-se um aumento 2% no consumo e um incremento de 4,5% na produção, chegando a 15 milhões de toneladas.

De acordo com a ABPA as exportações devem manter ritmo de crescimento semelhante em 2022 e 2023. Estima-se que esses embarques aumentarão em 6% em relação a 2021, chagando a 4,9 milhões de toneladas. Em 2023 a entidade projeta mais 6% de crescimento em relação a 2022 chegando a até 5,2 milhões de toneladas embarcadas.

Sobre os destinos da proteína, o presidente da ABPA, Ricardo Santin, disse que a China se manterá na liderança dos embarques mesmo comprando 6,7% menos que em 2021. Santin aponta que os países importadores, da carne brasileira têm feito movimento preventivo, comprando mais para garantir a oferta.

Outros fatores que incrementam as exportações são os casos de Influenza aviária, que devem continuar a se espalhar, principalmente com a chegada do inverno no Hemisfério Norte e também a lacuna deixada pela Ucrânia desde o início do conflito com a Rússia.

Dentre os países importadores, os Emirados Árabes deve comprar 66% a mais de carne de frango que em 2021. Filipinas, União Europeia e México também se destacam com aumento no volume de 44%, 37% e 50% respectivamente.

Quanto aos estados produtores, o Paraná (líder nas exportações brasileiras) deve registrar um crescimento de 11,5% nos embarques. Santa Catarina, segundo maior estado exportador, deve registrar um aumento de 3,1%.

Fonte: Avicultura Industrial, 28 de julho de 2022.

https://www.aviculturaindustrial.com.br/imprensa/abpa-projeta-crescimento-na-producao-e-nas-exportacoes-de-carne-de-frango-para/20220728-150412-U970