Em 2008, a população brasileira empregada trabalhou uma jornada média semanal de 40,8 horas. A informação consta no livro “Duração do trabalho em todo o mundo: Tendências de jornadas de trabalho, legislação e políticas numa perspectiva global comparada”, lançada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Apesar de ser menor do que o limite fixado em lei (44 horas semanais), uma porcentagem ultrapassa esta jornada. Mais de 33% trabalharam mais de 44 horas semanais e 19,1% trabalharam uma jornada superior a 48 horas semanais. Pouco mais de 23,1% trabalharam menos de 35 horas por semana.

 

Donas de casa

De acordo com o livro, de autoria dos especialistas da OIT Sangheon Lee, Deirdre McCann e Jon Messenger, os homens trabalham mais (44 horas) do que as mulheres (36,4 horas). Porém, entre as mulheres ocupadas, 87,8% também realizava afazeres domésticos.Entre os homens, 46,5% também trabalham em casa. A média de horas semanais dedicadas aos afazeres domésticos foi de 18,3 pelas mulheres e de 4,3 pelos homens ocupados. Em todo o mundo, segundo a OIT, em torno de 22% das pessoas, ou 614,2 milhões de trabalhadores, trabalham mais de 48 horas semanais.

 

A OIT recomenda que os acordos de trabalho deve levar em consideração cinco fatores: favorecer a saúde e a segurança no trabalho, ser compatíveis com a vida familiar, promover a igualdade de gênero, reforçar a produtividade, e facilitar a escolha e influência do trabalhador no seu total de horas de trabalho. (Fonte: Revista Proteção/Gazeta do Povo)

 

Fonte da notícia: Agencia DIAP de 09.09.2010